Revolução no turismo passa por consumidor exigente

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

O consumidor irá impulsionar uma verdadeira revolução no setor de turismo quando começar a exigir a certificação das empresas do setor, acredita Diogo Demarco, diretor do Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo, do Ministério do Turismo.

Segundo ele, a certificação dos estabelecimentos e das empresas que trabalham com turismo só acontecerá de fato à medida em que grandes empresas, governos, entidades e o consumidor final exijam que empresas sejam certificadas para a aquisição de produtos.

“Quando uma Petrobras exigir que seus funcionários só se hospedem em hotéis certificados, será uma correria pela certificação”, diz. Demarco lembra que o Rio de Janeiro está vivendo uma situação parecida provocada por uma exigência do Comitê Olímpico Internacional. “Eles querem uma lista de hotéis por classificação. Todo mundo começou a correr atrás para conseguir uma classificação”. Atualmente no Brasil há apenas 18 hotéis classificados por classe no País, segundo o representante do Ministério do Turismo.

De acordo com o diretor, a proximidade com a Copa do Mundo de 2014 já está fazendo com que algumas empresas estejam procurando as certificações necessárias. “Não é fácil certificar o setor de serviços. Quando falamos de produto é fácil conseguir uma padronização por tamanho, tipo, etc. Mas o serviço prestado é subjetivo”.

Dival Schmidt, consultor do Sebrae Nacional, lembra as dificuldades nos anos 80 para implementação da ISO. “A Europa restringiu a compra de produtos que não tivessem a ISO. Foi uma correria e tanto no Brasil”. Segundo ele, a certificação no turismo exige campanhas de esclarecimento à população, nos moldes das campanhas sobre epidemias, como Aids e Paralisia Infantil.

Os dois especialistas participaram no último sábado (21) da palestra ‘Certificação no Turismo: Desafios e Perspectivas’, durante a terceira edição Salão do Turismo, realizado entre 18 e 22 de junho no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

Normas no turismo

Atualmente existem 67 normas técnicas em vigor no setor de turismo, sendo que apenas 10 não foram publicadas. Desse total, 28 foram elaboradas a partir do apoio direto do MTur a projetos de formulação dessas regras.

A consulta às normas pode ser feita pelo endereço http://www.abntnet.com.br, pelos sites do MTur e da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Para realizar a consulta, o usuário terá que fazer um cadastramento, prestando informações como nome completo, CPF e RG e motivo de interesse.

Desde 2003, o Ministério do Turismo aposta em programas de capacitação e certificação para pessoas, produtos e empreendimentos nos segmentos do turismo, mais especificamente em turismo sustentável, turismo de aventura e competências profissionais. Vale lembrar também que o Brasil conta com 40 mil profissionais certificados nos diferentes ramos do turismo. A maioria deles é de garçons e cozinheiros.

Projetos do Sebrae

Um acordo de cooperação técnica assinado no ano passado entre Sebrae, Ministério do Turismo (MTur) e Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) prevê investimentos de cerca de R$ 21,5 milhões para o turismo nacional, com foco no desenvolvimento das micro e pequenas empresas. As ações têm prazo de dois anos, com a possibilidade de renovação pelo mesmo período.

O convênio se baseia no Plano Nacional de Turismo 2007/2010 e pretende utilizar a capacidade do setor para promover inclusão social. Pela parceria, serão realizadas ações como capacitação dos profissionais, incentivo para adoção das melhores práticas de gestão e fortalecimento do trabalho desenvolvido pelos órgãos estaduais de turismo e pelas empresas do setor.

O acordo também terá investimentos para a criação de um banco de dados do setor turístico e para a produção do Guia do Empreendedor do Turismo, entre várias outras iniciativas.

O trabalho conjunto do Sebrae e do MTur ainda aborda a questão ambiental, com o objetivo de promover a sustentabilidade no entorno das áreas de preservação e dos parques nacionais. Os especialistas em turismo hoje chamam a atenção para a necessidade de conciliar o potencial turístico com o respeito à ecologia e à preservação ambiental.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.