Startup decreta o início de uma nova Era no setor de segurança eletrônica

Durante maior feira de segurança da América Latina, o CEO da Camerite passou com um rolo compressor por cima de aparelhos DVRs para simbolizar novidades no setor de monitoramento de imagens

Redação 04/06/2018
Redação 04/06/2018

Pela segunda vez, a startup catarinense Camerite  participa da Exposec, principal evento do setor de segurança da América Latina. No encontro, a empresa apresentou novas funcionalidades na plataforma de monitoramento de imagens: inteligência artificial e mapa investigativo. A Camerite desenvolve um software de gravação e monitoramento de imagens em nuvem. Para marcar o fim da era dos equipamentos de gravação de imagem, o CEO da startup, Cristian Aquino, passou com um rolo compressor por cima de equipamentos de captura e armazenamento de imagens no segundo dia do evento. A ação contou com a narração do comunicador Marcos Piangers.

Cristian defende que “o ato representa, de forma impactante, a virada tecnológica do setor de monitoramento”.  Antes, as câmeras de gravação necessitavam de conexão por meio de linhas telefônicas e grande aparato de malha de fibra para o funcionamento de apenas poucos aparelhos. Além disso, as imagens ficavam gravadas dentro de DVRs, o que impossibilitava o acompanhamento ao vivo do que estava sendo monitorado. Sendo assim, além das câmeras, quem contratava empresas de segurança ainda precisava arcar com rondas físicas. Esse modelo gerava muita despesa, insegurança e limitação.

Com o armazenamento de imagens em nuvem o contratante tem acesso ilimitado às imagens, menos trabalho com instalações, mais rapidez para assistir as filmagens, conexão de qualquer lugar do mundo e a possibilidade de compartilhamento das imagens das suas câmeras de segurança. “Queremos levar para o mercado o que há de moderno e eficaz no monitoramento de imagens de segurança. Nossa plataforma pode ser integrada a diversos serviços, como os oferecidos por empresas de segurança, provedores de internet e integradores de câmeras”, reforça Cristian.

Com parceiros em todo o Brasil, a Camerite conta com uma rede como Khronos, Prefeitura de São Paulo, Tecvoz, Porto Seguro e Maaxcam. A Camerite faz parte do grupo MAP e cresceu mais de quatro vezes o número de funcionários no último ano – a previsão para 2018 é terminar o ano com 70 colaboradores.

Tecnologia a favor da segurança

O software da Camerite estimula ainda a vizinhança colaborativa. Funciona assim: uma câmera é instalada a cada quatro casas e os vizinhos conseguem compartilhar essas imagens, assim, todas as residências ficam dentro da área de cobertura. A plataforma permite que os usuários acessem uma linha do tempo, façam o download das imagens que procuram e compartilhem o link.

Com as novidades apresentadas na feira, como a adoção de inteligência artificial , a plataforma consegue identificar placas de carros e cruzar a imagem com dados de veículos roubados, por exemplo. Além disso é possível identificar movimentos fora do padrão, como uma pessoa pulando um muro, e disparar um alarme que notifica a central de monitoramento em tempo real.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.