As transformações com o Metaverso

*Por Rochele de Matos, cientista social e publicitária – sócia da agência Le Magu

Que o ambiente digital já é algo bem próximo de boa parte dos brasileiros, principalmente nas regiões onde se tem acesso à internet de qualidade, isso não é novidade. Mas as inovações não param por aí.

A nova tendência, que já mostra que está ganhando o público, é o Metaverso. Que vem recheado de dúvidas, críticas e, talvez, muitas interrogações. Para facilitar o entendimento, podemos pensar que esse novo ambiente não terá intermediário.

Nele você poderá realmente estar imerso no ambiente digital, através de elementos que vão lhe ajudar a participar de reuniões, shows, cultos, festas e muitas outras ocasiões. Essas, citadas anteriormente, já estão acontecendo e já levaram um bom número de pessoas a participar deste novo ambiente.

São novas experiências sendo criadas e que, se bem utilizadas, poderão aproximar cada vez mais as pessoas.

O que esperar do Metaverso no futuro? A promessa dos especialistas é que o Metaverso mudará o mundo como o conhecemos hoje, com efeitos diretos em todo o mercado e na maneira como interagimos e fazemos as coisas.

Os próximos anos nos dirão como a tecnologia para isso será aplicada em  nossas vidas diárias. Nesse caso, um dos maiores desafios e investimentos será alinhar um mundo com outro por meio de padrões abertos e adaptar o mundo a plataformas de produção virtual a um custo acessível.

Mas afinal, quantas pessoas já estão no metaverso? Segundo levantamento da agência de pesquisas Kantar Ibope Media, 6% dos brasileiros que usam a internet já transitaram por alguma versão do Metaverso. Isso equivale a cerca de 4,9 milhões de pessoas. A consultoria Gartner prevê que até 2026, um quarto dos usuários de internet do mundo passarão pelo menos uma hora por dia nesses mundos virtuais.

A Igreja Batista da Lagoinha, que criou o primeiro templo brasileiro virtual, chamado de LagoVerso. Ali, os frequentadores são incentivados a usar hashtags para propagar a palavra de Deus, confraternizar com o uso de avatares e ouvir louvores virtualmente.

Em Santa Catarina, a Le Magu, agência de marketing, planeja a primeira especialização da área, que vai preparar os primeiros especialistas em gestão de Metaverso no Brasil.

Se falarmos de paixão nacional, e também internacional, a Estação Primeira de Mangueira, será a primeira escola de samba brasileira a se aventurar no metaverso, estabelecendo sua quadra na plataforma. Além de participar dos eventos exclusivos da escola de samba, os compradores das NFT’s (assunto que vamos falar mais adiante) terão acessos diferenciados em eventos também.

Recentemente a artista Ariana Grande foi convidada para fazer um show na ilha mais famosa dos games, Fortnite. Lá ela teve um mapa inteiro dedicado e um avatar da artista, acompanhado por mais de 27 milhões de pessoas.

E você, está preparado para este novo mundo?

Facebook
Twitter
LinkedIn

Você também vai gostar de: