Ajudo empresas a entregarem a seus clientes sistemas que funcionem perfeitamente

Everton Arantes 08/09/2019
Everton Arantes 08/09/2019

Eu, Everton Arantes, me formei em Análise de Sistemas e Ciências da Computação e sempre quis empreender. Era o jeito que eu via para conseguir mudar o mundo de alguma forma. Me especializei em qualidade de software, e ajudar as empresas a entregar a seus clientes sistemas que funcionem perfeitamente é o que sei fazer, é a minha forma de impactar positivamente o mundo.

Fundei a Prime Control em 2008, quando enxerguei uma oportunidade de mercado. Em Curitiba, naquela época, não havia uma empresa especializada em teste de software. Havia empresas que faziam testes, mas não eram especializadas nisso. Enquanto ainda trabalhava como gerente de qualidade em uma outra empresa de tecnologia, comecei a prospectar o mercado. Logo consegui meu primeiro “job”, um projeto temporário de dois meses com uma grande empresa de folha de pagamento. Pedi demissão e abracei a demanda. Aluguei uma sala, parafusei as mesas, comprei os computadores e contratei dois estagiários para me ajudar.

Na época, 11 anos atrás, eu tinha um salário de cerca de R$ 10 mil. Abri mão para tocar o próprio negócio. Conversei com minha esposa e ela topou correr o risco. Vendemos o carro, reduzimos as despesas e foi assim que começou.

O começo não foi fácil, porque não havia cliente fixo, só demandas pontuais e temporárias. Mesmo assim, no primeiro ano de vida a Prime Control faturou R$ 380 mil. No segundo ano,  a receita subiu para R$ 600 mil. Em 2011, vieram os primeiros grandes clientes com receita recorrente – Grupo Boticário e Positivo Informática -, e aí o negócio realmente deslanchou. Até hoje, o crescimento é contínuo, tanto que em 2018 a Prime Control recebeu o primeiro lugar no prêmio “PMEs que mais crescem no Brasil”, concedido pela consultoria Deloitte e Revista Exame. Ano passado, o crescimento da Prime Control foi de 329%.  Com 200 funcionários e cerca de 40 vagas abertas, a Prime Control faturou R$ 17 milhões em 2018 e espera alcançar uma receita de R$ 35 milhões este ano.

Para entender melhor o meu propósito e o que a Prime Control faz vou citar o exemplo de um cliente real. A Eudora, do Grupo Boticário, lançou uma campanha para contratar revendedoras. A ação foi ao ar no programa Domingão do Faustão, da TV Globo, e o apresentador divulgou em rede nacional o endereço do site para as candidatas se cadastrarem.

Era preciso acessar a página e fazer o cadastro para se candidatar às vagas. Já imaginou se as pessoas tentam acessar o site e não conseguem por uma sobrecarga de acesso? Olha a decepção gerada em milhares de candidatas. Além disso, se a plataforma não funciona adequadamente, o dinheiro investido na ação de marketing em rede nacional será em vão.

O trabalho da Prime Control, nesse caso, foi testar a navegabilidade do site (para checar se era “user friendly”), o funcionamento da plataforma e todo o encaminhamento dos dados ali cadastrados, incluindo a segurança das informações.

Com testes de estresse, por exemplo, a Prime Control consegue checar antecipadamente se o site suportará o grande número de acessos simultâneos, que aconteceriam em decorrência da propaganda no Domingão do Faustão. Além disso, a Prime Control checa se todos os campos estão funcionando corretamente – se o CPF e o e-mail inseridos são válidos, por exemplo. Por fim, também é trabalho da empresa assegurar que as informações inseridas pelas candidatas no formulário do site cheguem em segurança e de forma correta ao banco de dados da Eudora, de forma integrada com o CRM da companhia, para que o processo de seleção tenha continuidade. “Nossos testes são feitos de ponta a ponta”, diz Everton.