De negócio familiar ao meu negócio próprio de cerveja artesanal

Lucas Berggren 13/08/2019
Lucas Berggren 13/08/2019

Comecei minha carreira na empresa da minha família, a Ober S/A Indústria e Comércio, no ramo Têxtil, mas decidi abrir mão da minha carreira para investir no mercado de cervejas especiais e fundar a Berggren.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) registrou em junho desse ano a cervejaria de número mil no país. Isso significa que, só em 2019, foram 111 novas fábricas autorizadas em 150 dias – uma média de 22 ao mês. Para se ter uma ideia da expansão do segmento, o ano de 2009 terminou com 255 indústrias ativas. Em 10 anos, o número praticamente quadruplicou.

O crescimento constante do setor fez com que muitos empresários abrissem mão de estabilidade e investissem na área, como é o meu caso. Me formei em Direito, pela universidade Faculdade Metodista de Piracicaba – Unimep, e comecei minha carreira na empresa da minha família, a Ober S/A Indústria e Comércio, no ramo Têxtil. Comecei como aprendiz na parte mecânica e elétrica e posteriormente trabalhei por diversos outros setores produtivos da empresa, até chegar na função administrativa.

Após visitar uma fábrica de cerveja em 2008, fiquei interessado ainda mais em investir no ramo e assim surgiu a ideia de criar a cervejaria Berggren. Em um primeiro momento, a minha família teve resistência em diversificar os negócios, mas depois concordaram com a ideia. Porém, uma crise no ramo têxtil em 2010 fez com que os meus planos tivessem que ser adiados. Apesar de já ter planejado e estruturado tudo depois de um longo período de estudos sobre o setor, tive que adiar o projeto por conta dessa crise, pois ficamos sem recurso para bancar o investimento.

Reviravolta

Enquanto aguardava a situação melhorar, a família se dedicou a montar uma fábrica piloto, que acabou sendo uma espécie de laboratório para a cervejaria. Essa dificuldade acabou sendo benéfica porque conseguimos ir testando as cervejas e tiramos todas as licenças para registrar os produtos. O projeto só foi retomado em 2014. Após um ano e meio para estruturar a fábrica em Nova Odessa e conseguir os equipamentos necessários, a cervejaria iniciou sua produção em dezembro de 2015 com o nome de Berggren Bier, que leva o nome do meu avô. No total, minha família desembolsou R$ 40 milhões (30% foi do BNDES) em uma fábrica com capacidade de produção que pode chegar a 1,2 milhão de litros por mês.

Planos de expansão

Com o sucesso da marca, decidi me dedicar exclusivamente a cervejaria e deixei a Ober com meus pais e irmãos. Atualmente a Berggren possui diversos rótulos que se destacam pelas produções inusitadas como cervejas com café, laranja, limão e chocolate. Recentemente investimos R$ 3 milhões no projeto de ampliação da fábrica. O projeto aumentará a capacidade de produção em 200%. Com o investimento, pretendemos triplicar o faturamento. As bebidas da marca são vendidas em cinco estados.