Mais da metade do desempenho profissional está ligado à inteligência emocional

Consultor empresarial comenta sobre impactos do relacionamento interpessoal para a carreira e a importância de se investir em networking nos negócios

Redação 29/08/2018
Redação 29/08/2018

Saber lidar com situações desafiadoras e estar pronto para conviver com diferentes perfis de pessoas pode ser mais importante que a própria formação de um profissional. Foi o que apontou a pesquisa da consultoria TalentSmart, mostrando que 58% do desempenho no trabalho está ligado a inteligência emocional.

De acordo com o consultor empresarial Roberto Vilela, para se ter sucesso neste quesito é preciso tempo, estudo e observação. “Além de formações complementares e apoio de especialistas no assunto, especialmente os gestores devem estar atentos a todas as situações do cotidiano. Muitas vezes observar é melhor do que falar e agir no momento certo é decisivo para motivar equipes e evitar conflitos”, avalia.

Para ele, mais do que saber lidar com os situações tensas da rotina, inteligência emocional tem a ver com aproveitar as oportunidades do cotidiano. “Se relacionar vai além da simpatia ou de uma boa conversa. Está ligado à identificação de pessoas estratégicas para se conseguir bons resultados e criar ações para se estar perto delas. É o famoso networking”, comenta.

Como agir em momentos de crise 
Tanto em conflitos internos quanto em posicionamento de mercado, é fundamental, de acordo com Roberto, que o profissional seja observador. “Um dos grandes erros relacionados a inteligência emocional é agir por impulso. Na hora de cobrar um resultado, mediar um conflito ou buscar parcerias estratégias no seu segmento, você deve avaliar as possibilidades para ser assertivo no momento em que tomar uma decisão”, indica.

Procurar apoio de pessoas que considera referência na área em que trabalha, além de profissionais especializados são atitudes que evitam desgastes desnecessários. “Obviamente as pessoas erram neste sentido, especialmente no início da carreira ou do negócio. O importante é se manter aberto para corrigir falhas e estar ciente de que muitas vezes isso é necessário para o crescimento profissional”, conclui o consultor

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.