Marca têxtil completa 40 anos com foco em sustentabilidade

Redação 25/08/2020
Redação 25/08/2020

Um dos maiores desafios do setor têxtil sempre foi tornar a sustentabilidade uma realidade e a busca por amenizar os impactos está mais presente na pauta de gestores do segmento. A Oceano Surfwear, marca de Joinville (SC) e que neste ano completa 40 anos de atividades, é um exemplo disto e carrega esse valor em seu DNA e em sua rotina, buscando, cada vez mais, deixar um legado quando o assunto é moda consciente.

Fundada em 1980 pelo surfista Affonso Eggert, a empresa começou como uma fábrica de pranchas de Surf e a partir de 1990, incluiu a produção de camisetas estampadas em seu portfólio de produtos. Com o crescimento do setor e uma ótima aceitação pelo mercado, em 1998 a Oceano tornou-se exclusivamente uma marca de roupas masculinas.  Com um crescimento anual na casa dos 10%, a Oceano está presente em mais de 700 lojas multimarcas em todo o Brasil, além de possuir uma loja conceito no Balneário Shopping, em Balneário Camboriú (SC), e ainda, desde o mês de julho, presente no universo online com seu e-commerce.

Num trabalho de vanguarda e centrado no objetivo de fazer a sua parte para evitar a crescente poluição dos oceanos, Affonso decidiu inserir pequenas mensagens de conscientização nas etiquetas das roupas, levando até os clientes o DNA da marca. Vale lembrar que de acordo com a Ellen MacArthur Foundation encontraremos, até 2050,  mais plástico do que peixes nos Oceanos.

Porém você deve se perguntar: como a marca pratica a sustentabilidade na prática? A Oceano Surfwear produz duas coleções por ano, Primavera-Verão e Outono-Inverno, contemplando cerca de 500 itens em cada. E foi diante da crescente de produção e ciente do seu papel na sociedade que a Oceano criou, em 2007, uma linha de camisetas produzidas à base de garrafas PET. A chamada malha desfibrada (infinity) é resultado das transformações das fibras da garrafa de plástico em fios de poliéster e quando combinada com o algodão resulta nessa malha mais sustentável e utilizada para a produção das camisetas. Ao todo são cerca de 40 modelos desenvolvidos com esses materiais.

Mas atuação da Oceano Surfwear para a preservação do meio ambiente vai além dos processos produtivos. E este cenário, e visando atingir um número ainda maior de pessoas, que programa KOB – Keep the Ocean Blue foi criado em 2007. Trata-se de um agrupador de atividades voltadas para a preservação e a conscientização ecológica, como a realização de mutirões de limpeza de praias, ações educativas em escolas _ pelo menos três por ano _ e práticas mais sustentáveis na fábrica, com uma uma linha de camisetas produzidas a partir de garrafas PET, além de outros tecidos que minimizam o impacto ambiental.

Somente em 2019, a Oceano Surfwear produziu mais de 57 mil unidades da linha de camisetas à base de garrafas PET, o que representa a retirada de 228 mil garrafas PET dos lixos comuns e/ou meio ambiente. Esta bandeira é tão presente na Oceano que os usuários do e-commerce poderão conferir dentro do site uma página toda dedicada aos produtos com apelo sustentável da marca. Atualmente, a Oceano é gerenciada pelo seu fundador, Affonso, e pela filha Sabrina, diretora-geral da Oceano surfwear.

Incentivo ao esporte

Além de realizar seus projetos ambientais e investir em processos cada vez mais sustentáveis, a Oceano Surfwear também acredita que o fomento do surf é um excelente caminho para o aumento da consciência sobre a importância da preservação ambiental. Afinal, o nome da empresa foi inspirado no fato de o Oceano ser o local de trabalho de pescadores, surfistas e atletas de outras modalidades aquáticas, além de diversão para muitas pessoas. Por isso, a marca é um incentivadora do esporte com o patrocínio do Surf Taletos Oceano desde 2011e também com apoio direto a atletas. Integram a equipe Oceano Surfwear o surfista Everaldo “Pato” Teixeira, Big Rider nascido em Santa Catarina e reconhecido no mundo inteiro. Além do seu talento dentro d’água, Pato destaca-se pela constante busca da “onda perfeita” retratada por muitos anos na série “Nalu pelo mundo”; Além dos atletas Matheus Navarro, Greg Cordeiro, Hedieferson Junior, Luiz Mendes e Petterson Thomaz.

Batemos um papo com o fundador da Oceano Surfwear para conhecer um pouco mais desta empresa que conseguiu trazer a sustentabilidade para o seu DNA e deixar a sua marca na preservação do meio ambiente e no amor ao esporte.

1) O que do Affonso surfista e empreendedor lá do início, 40 anos atrás, você diria que foi essencial para a marca chegar hoje a quatro décadas de atuação?  

Acredito que o essencial para chegarmos  neste marco foi muito pelo amor ao surf. Afinal, foi esse esporte que inspirou o nome da marca, a dedicação ao trabalho e a querer fazer produtos pautados pela qualidade e que representem o DNA da marca.

2) Como a questão da sustentabilidade apareceu na Oceano?

Desde a época que produzíamos pranchas de surf, eu sempre tive vontade de pesquisar e então lia muito revistas importadas de surf. A maioria eram americanas e custavam uma verdadeira fortuna. Mas foi por volta de 1984 que vi um anúncio da Surfrider Foundation que atua na proteção e preservação dos oceanos. Aquilo ali tinha tudo a ver com a gente, não apenas pelo nome da empresa, mas pela necessidade irrevogável da preservação dos oceanos para a prática do esporte.

Em 1990, inserimos a primeira tag em nossas peças com a mensagem “Surf é saúde, não polua o Oceano”. Já em 2007 nasceu o projeto Keep The Ocean Blue.

3) Qual a diferença entre as malhas convencionais e estas que fazem parte de uma parte da coleção da Oceano?

Chamada de malha desfibrada, o material é resultado das transformações das fibras da garrafa de plástico (PET) em fios de poliéster e quando combinada com o algodão resulta nessa malha mais sustentável e utilizada para a produção das camisetas. A marca também trabalha com  outros tecidos que minimizam o impacto ambiental como a malha organic de algodão orgânico, a malha cotton desfibrada e a malha infinity, ambas feitas a partir do reaproveitamento de retalhos de malha e o jeans EKO que também possui fibras recicladas. Ao todo, são 40 modelos, desenvolvidos com esses materiais.

Isto só mostra que é possível vestir-se de forma mais consciente e fazer disto um hábito. Gosto sempre de perguntar:  Você tem peças sustentáveis no seu guarda-roupa?  Isto faz com que as pessoas parem e pensem, afinal é necessário que cada um pense como individualmente pode fazer a diferença na preservação dos oceanos, do meio ambiente.

4) Estes últimos cinco meses têm sido uma oportunidade para avaliar comportamentos e  vontades.  E neste cenário, o consumo responsável e a preocupação ambiental mostram-se cada vez mais presentes. Você já percebe uma mudança de comportamento das pessoas e acredita que olharemos com mais atenção para as empresas, marcas e produtos que defendem e atuam em prol da sustentabilidade?

Acredito que sim, as pessoas estão mais ligadas ao consumo responsável, ao consumo por produtos feitos no Brasil, produtos que sejam mais amigos do meio ambiente e do planeta. Estes devem conquistar cada vez mais os consumidores de todas as idades e estilos, mas esta mudança de comportamento ainda tem muito a evoluir e se capilarizar.

5) Na sua opinião, o que falta para os empresários associarem de forma mais efetiva a sustentabilidade em seus negócios?   

Muito está na vontade de trabalhar em prol de um mundo melhor, de uma sociedade mais justa e de um meio ambiente mais saudável. Tenho a certeza que muitos estão fazendo sua parte e mudando nossa maneira de viver. É um caminho, mas, com certeza, já estivemos mais longe.

6) Falando de futuro, quais são os próximos planos da Oceano?

Estamos trabalhando para que mais pessoas conheçam o nosso trabalho. Lançamos  recentemente o e-commerce, o que colabora muito neste objetivo, e claro, esta exposição maior dará mais visibilidade aos nossos programas como o Kepp The Ocean Blue e seu propósito.  Não podemos deixar de lado nossos objetivos comerciais, focados no crescimento sustentável da marca.

7) Qual conselho, com base nas experiências e percalços dos 40 anos de Oceano, você daria para quem quer empreender sem deixar de lado a bandeira da sustentabilidade e a consciência ambiental?

A busca pela qualidade, não só nos produtos, mas também nas relações com colaboradores e clientes é fundamental para o sucesso de um empreendimento. Conquistar, demonstrar e cativar a confiança entre todos torna o trabalho mais fácil e prazeroso.

Além disso, trabalhar com matérias-primas de qualidade que causem menos impacto ao meio ambiente, buscar fazer o melhor nos processos produtivos, pensando em gerar menos lixo ou reaproveitando tudo o que sobra dentro de sua atividade industrial são pontos que precisam se tornar parte da estratégia de uma empresa.

Também acredito que crises econômicas nos trazem oportunidades e aprendizados, e todo empreendedor precisa saber que só se passa por estes problemas com muito trabalho, com criatividade e com foco no cliente. E mais do que isso, é preciso pensar sempre em qual legado a sua marca vai deixar para as próximas gerações, para o mundo.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.